quarta-feira, 31 de março de 2010

sábado, 27 de março de 2010

Salvador, 461 anos, em três visões

29 de Março, a capital de todos os baianos, troianos e caetanos faz 461 anos de fundação. Cidade de fortes contrastes sociais, onde pobreza e riqueza convivem juntas, beleza e descuido dividem o mesmo espaço. Salvador vive um dos seus momentos mais difíceis, onde a desorganização pública impera, o lixo nas ruas abunda, a favelização cresce desenfreadamente e o jeito folgado de ser de alguns soteropolitanos ao usar o espaço público para fins particular, já fazem parte da "nossa cultura". Xixi nas ruas é "normal".

Lamentável que isso aconteça numa cidade tão bela como Salvador,que possui uma gigantesca e influente representatividade cultural neste país.

Seguem três vídeos, onde artistas baianos de gerações diferentes, cantam a capital baiana à sua maneira, seja tradicional e festiva, seja da maneira mais escrachada ou da maneira mais reflexiva.

Gal Costa - "É d'Oxum"


Camisa de Vênus - "Controle Total"


Pitty - "Sob o Sol"

Homenagem à cidade do Porto dos Casais

Devido a questões pariculares, não pude postar a tempo, a minha singela homenagem a uma cidade que aprendi a gostar, Porto Alegre, que fez aniversário ontem, 26 de Março.

Quando se pensa em canção homenageando a capital gaúcha, nos vem logo à cabeça, a festiva "Deu Pra Ti", o megahit da dupla Kleion & Kledir. Resolvi sair do lugar comum, e nos dois vídeos postados abaixo, duas canções pouco conhecidas que falam de Porto Alegre com muito sentimento, e claro, são muito bonitas. São canções pouco conhecidas de quem é de fora de Porto Alegre, mas que têm uma grande importância e significado pra quem é de lá.

A primeira é "Horizontes", intepretada por Vítor Hugo e Ângela Jobim. Canção muito bonita e bem no clima Brasil Pré-Redemocrático dos anos 1980.





A segunda é "Ramilonga", de Vítor Ramil, irmão caçula da dupla Kleiton & Kledir, autores de "Deu Pra Ti". Se esta é mais pop e "ensolarada", "Ramilonga" tem um tom mais triste e introspectivo, porém, bela.

sexta-feira, 19 de março de 2010

Idéia recusada


As postagens aqui se referem à capa do livro Contando 40 Contos, do escritor baiano João José de Oliveira, com histórias pitorescas, "causos" populares do sertão baiano. Na época, acredito que 2008, eu trabalhava na equipe do Estúdio Cedraz, comandada pelo mestre dos quadrinhos baianos, Antônio Cedraz.
A primeira idéia para a capa foi baseada num dos contos do livro, onde um dos personagens, era o "Diabo," figura muito presente no imaginário do folclore do Nordeste, principalmente na literatura de cordel. Baseado nisso, me inspirei para fazer os "capetas" da capa, numa manifestão popular muito conhecida em Jacobina, interior da Bahia, conhecida como "Os Cão", onde o homens se vestem como o "Diabo", em festas populares, usando chifres e dentes bem aparentes.

Fiz os estudos e depois desenhei a capa, arte-finalizei, porém o autor recusou a capa. Não sei ao certo o motivo. Talvez tenha achado "demoníaca" demais (rsrsrs). Bolei outra idéia mais amena, baseada num outro conto do livro, que é a da mulher, o bode e casinho ao fundo (capa abaixo). A idéia foi aprovada. Fiz o lápis e arte-final e a colorização foi de Vítor Sousa.













sábado, 13 de março de 2010

sexta-feira, 12 de março de 2010

Salvador, a "capital nacional do lixo"


Em outubro de 2006, postei no meu antigo blog esta charge, e com ela, iniciei a série "Maus Hábitos do Baiano", onde através de charges, fiz uma crítica bem humorada aos péssimos costumes de alguns baianos, mais precisamente dos soteropolitanos. Nesta charge, denuncio o hábito que alguns moradores da capital baiana têm em jogar o lixo na rua. Na época, a série gerou uma certa polêmica, pois, chegaram a dizer que eu estava sendo "anti-baiano".

Pouco mais de três anos depois, o programa "Fantástico", da Rede Globo, fez duas enquetes sobre o lixo nas grandes metrópoles brasileiras, e Salvador venceu em ambas. Uma referente ao lixo na praia, tendo a praia de Piatã como a pesquisada, onde foram coletadas mais de 7,5 toneladas de lixo. A outra enquete foi sobre lixo na rua, analisando um trecho de 1km; a Avenida 7 de Setembro deu mais um título a Salvador.

O Jornal da Metrópole de hoje, da Metrópole FM, de Salvador, publicou uma matéria especial sobre o lixo nas ruas soteropolitanas e dá uma atenção também aos "mijões", a galera que gosta de fazer xixi na rua.

Confira o link http://www.radiometropole.com.br/jornal/pdf/jornaldametropole_12032010.pdf . Acredito que a minha charge, que deixou alguns baianos da "gema" chateados comigo há três anos, não é nada diante das fotos da matéria do jornal.







Glauco (1957-2010)



A barbárie da violência no Brasil não mede limites e não poupa nem se quer o humor. O humor gráfico brasileiro perdeu hoje um dos seus representantes mais significativos, o cartunista paranaense Glauco, criador do personagem "Geraldão", vítima de latrocínio.

Dois bandidos invadiram a casa do cartunista no início da madrugada de hoje. Estavam em casa o Glauco, a esposa e três filhos. Glauco tentou convencer os bandidos a desistirem do assalto, porém foi alvejado com quatro tiros. O seu filho, Raoni Villas-Boas, de 25 anos, também foi alvejado. Levados ao hospital, eles não resistiram e faleceram.

Conheci o trabalho do Glauco quando eu era adolescente, nos anos 1980, através da revista Chiclete com Banana, cujo carro-chefe eram os quadrinhos e charges do Angeli. Porém , a publicação também trazia os trabalhos de outros cartunistas, dentre eles, o Laerte e o próprio Glauco. Aliás, os três eram grandes amigos e publicaram trabalhos a "seis mãos", como a série Los Três Amigos.

Glauco fez muito sucesso com seu personagem "Geraldão", mas confesso que sempre gostei mais das suas charges políticas, sempre sarcásticas e demolidoras. O seu traço reto e econômico davam um "molho" único.

Que Glauco e os eu filho descansem em paz.


segunda-feira, 8 de março de 2010

sexta-feira, 5 de março de 2010

O caótico transporte público de Salvador

As duas charges que posto aqui, foram feitas há uns dois ou três anos, e parece que continuam atuais. Elas se referem a caos que é o transporte público de Salvador, terceira cidade mais populosa do país. No entanto, parece que em termos de transporte público, ela supera qualquer grande metrópole brasileira.

Há muito tempo, os poderes públicos não pensam de uma maneira séria o transporte público em Salvador, baseada boa parte em ônibus. O sistema é deficiente, ultrapassado e necessita ser repensado urgentemente. Os ônibus em sua maioria são sujos, algumas linhas demoram muito a passar, os terminais são verdadeiras "filiais do inferno". Com isso, parte da população corre em busca da aquisição do automóvel.


No entanto, essa busca desenfreada pelo automóvel acaba acarretando um grande mal para a cidade. Salvador está cada vez mais cheia de carros, os engarrafamentos são constantes, a poluição aumenta, e a incompetência do poder público continua.
Há dez anos, Salvador não consegue terminar o que será considerado o "menor metrô no mundo". O trajeto do metrô soteropolitano é de ridículos 6km! Numa entrevista ao Jornal da Metrópole, da rádio Metrópole FM, de Salvador, o professor de urbanismo da Universidade do Estado da Bahia, Juan Pedro Moreno, afirmou que "o grande problema de Salvador é a falta de vontade política e participação mais ativa da população".
A grande esperança para a capital baiana, são as obras para a Copa do Mundo de 2014. Para sediar uma das chaves do mundial, Salvador será obrigada a fazer grandes intervenções urbanas exigidas pela FIFA, e uma delas é a melhoria no sitema de transporte. Ou seja, o que não foi feito em Salvador nos últimos 20 anos em transporte público, terá que ser feito em 3.
É esperar, e rezar, para ver.