quinta-feira, 26 de agosto de 2010

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

O Inter conquista o bi da Libertadores e se iguala ao Grêmio


Após 4 anos da primeira conquista da Taça Libertadores, o Internacional tornou-se ontem à noite,
bi-campeão do torneio, ao vencer de virada o Chivas do México, por 3 a 1. Agora, o colorado se iguala ao seu maior rival, o Grêmio, com duas Libertadores conquistadas. O tricolor portoalegrense conquistou duas vezes a Libertadores, em 1983 e em 1995.

No final do ano, o Internacional arrumará as malas e seguirá para Abu Dhabi, nos Emirados Árabes, onde disputará o Mundial de Clubes da FIFA, e tentará o bicampeonato mundial. O colorado foi campeão desse mesmo torneio em 2006, ao bater o Barcelona por 1 a 0.

Parabéns ao Internacional pela conquista, que com disciplina e organização, fecha a década como o clube brasileiro com o maior número de conquistas internacionais. Parabéns ao futebol gaúcho, que ao longo do tempo, conseguiu descentralizar o futebol brasileiro dessa polarização irritante que é o eixo Rio/São Paulo. Que o futebol gaúcho sirva de lição aos clubes nordestinos, e principalmente aos baianos, que ao invés de se lamentarem, de se vitimizarem, de reclamarem que são discriminados, arregacem as mangas, se organizem, sejam criativos e possibilitem as eleições diretas aos seus sócios, como já fazem o Grêmio e o Internacional.

Valeu Inter!!

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Inter perto do bi da Libertadores


O Inter está próximo a se igualar ao seu arqui-rival, Grêmio de Football Portoalegrense, mundialmnte conhecido como...Grêmio. Depois de um resultado heróico de 2 X 1,lá no México na semana passado contra o Chivas. A equipe gaúcha começou a partida perdendo e virou o resultado, bem ao estilo do futebol guerreiro gaudério.
Vai uma charge pros colorados, pra ilustrar esse momento bem especial. Mas aproveitem bem, hein. A próxima década será azul!!!!

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Finalmente o grande dia do lançamento de "Miudins - 30 Anos de Periferia"

O dia 14 de agosto de 2010 foi muito especial para mim. Finalmente fiz o lançamento da coleção "Miudins - 30 Anos de Periferia", na Livraria LDM Multicampi, aqui em Salvador/BA. A coleção consiste de 3 volumes que reunem algumas das melhores tiras dos Miudins.

Familiares e amigos estiveram presentes ao lançamento, onde puderam também assistir a aprsentação do Coral do Ceifar - Centro de Integração Familiar. A renda da venda dos livros será em benefício à instituição que presta um valioso trabalho social à famílias carentes do bairro de Tancredo Neves e comunidades vizinhas.

Quero aqui agradecer a todos que deram um grande apoio a este projeto, família e amigos. Demorou a gestação do projeto, mas graças a Deus saiu. Agora é só comemorar mais uma etapa vencida.












sábado, 14 de agosto de 2010

Desabafo baiano


Outro dia, li um dos mais ácidos e "matadores" artigos escritos pelo jornalista Hagamenon Brito, crítico musical do jornal "Correio*", daqui de Salvador. Polêmico, Hagamenon foi o criador da expressão "Axé Music" que serviu para dar nome a uma música que nascia na Bahia nas folias momescas em meados dos anos 1980. O que era um termo meio pejorativo, virou batismo de gênero musical oficial.

Entilulado "Acontece que eu sou baiano também", o artigo é um verdadeiro desabafo quanto à decadência da musica comercial baiana e uma desconstrução da falsa e "pasteurizada" identidade baiana vendida pelo empresariado "axezeiro" pra agradar "gringos" e paulistas.

Gosto dos artigos do Hagamenon e este, para mim foi um dos melhores que ele escreveu. Me identifiquei muito com ele, e mostra que nem todos os baianos pensam com o "quadril".

Acompanha junto, uma charge que fiz para a série, "Maus hábitos do baiano", que fiz em 2006.


ACONTECE QUE EU SOU BAIANO, TAMBÉM


Eu moro em Salvador, onde os homens mijam em via pública sem nenhum pudor. Como se fossem cachorros que levantam a perna em qualquer poste, não se importando com quem passa. Tem cachorro branco, cachorro negro, cachorro pardo... cachorro de toda cor, variedade e tamanho. Certamente, também tem cachorro exibicionista, cachorro voyeur, cachorro dos quintos dos infernos. O cheiro de mijo e a sujeira são referências seculares da Cidade da Bahia. Bonito, massa.


Será que, se tivesse a praticidade da anatomia masculina, a mulher baiana também mijaria na rua, numa boa? Talvez. O povo baiano é muito folgado. Pronto, falei. Mal te conhece, quer saber o número do teu RG, CPF, se você já comeu a vizinha - ou o vizinho - do lado e o que tem em sua mesa. Na fila do Elevador Lacerda ou em um banco, é melhor evitar dar bom-dia, ou a pessoa te conta toda a vida. Ela faz um talk show.


O soteropolitano se considera o rei da cocada preta, mesmo que sua capital tenha uma orla favelada, um nível de barulho enlouquecedor, uma axé music de gosto mais que duvidoso, uma pobreza social que seus shoppings centers não conseguem ocultar, um sol que se esconde a maior parte dos 365 dias do ano e que ele sofra de complexo de inferioridade disfarçado de excesso de autoestima.


De manhã, o dono da banca de revistas da minha rua, no Rio Vermelho, me oferece as publicações que eu gosto e diz: o senhor tem razão. De quê, pergunto. De achar que Salvador virou um balneário tropical de terceira categoria. A mão de obra e o atendimento são ruins, não melhoram, a cidade está parecendo o Rio em violência e o trânsito piorou muito. Sabia que todo mundo aqui na rua agora desembolsa R$ 30 para ter segurança particular?


Os problemas do trânsito de Salvador me fazem duvidar do ditado “baiano burro nasce morto”. Falta vontade política para melhorar o sistema de transporte público de Salvador e uma mudança de mentalidade do soteropolitano, para quem, desde que o samba é samba, andar de ônibus (minimetrô superfaturado? quando mesmo?) é coisa de pobre, é humilhante. Como nos últimos anos ficou fácil comprar carro, a Paralela caminha rápido para ser nossa Marginal Tietê.


Eu moro em Salvador, tida como a cidade de maior população black fora do continente africano, onde matanças contra jovens negros pobres são constantes, sem que a sociedade realmente proteste, faça alguma coisa séria. Ah, os adolescentes são bandidos, merecem morrer? São mesmo? Isso é coisa de guerra de traficantes? Polícia boa é aquela que mata? Quem liga para essa gente feia, senão suas mães negras chorosas?


Ora, direis, esse sujeito nasceu onde? Aqui, meu caro, neste bonito e histórico cu do mundo. Se digito essas observações em um Sábado de Aleluia é porque sou baiano também e escolhi Salvador para malhar este ano. Ora, direis, esse infeliz está mais jururu do que um caramujo. Não, são apenas constatações. Queres que eu mude para Reykjavik? Não mudo. Salvador é tão minha quanto de Bell Marques, Nizan Guanaes, Claudia Leitte e sua.


Só quero viver em paz na cidade que escolhi para morar e ver minhas crianças crescerem. Não quero ser como João Ubaldo Ribeiro, que reside no Rio e passa férias numa Itaparica que ele guarda na memória. O melhor lugar do Brasil tem que ser aqui e agora. Ainda dá tempo.


Deve existir um homem feliz em Salvador.



Texto publicado originalmente na coluna Hagamenon Brito, no jornal CORREIO, dia 06 de abril de 2010

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Lançamento de "Miudins - 30 Anos de Periferia", 14 de agosto de 2010



Finalmente estarei lançando amanhã, a coleção "Miudins - 30 Anos de Periferia". Composta em em 3 volumes, a coleção reúne algumas das melhores tiras dos Miudins publicadas no fanzine que editei da turma, entre 1999 e 2005, e também publicadas em alguns dos principais fanzines brasileiros e sites de quadrinhos. As tiras dos Miudins também foram expostas em salões de humor como o de Volta Redonda, em 2001, onde fui contemplado com uma menção honrosa.

"Miudins - 30 Anos de Periferia" tem o apoio do Fundo de Cultura, programa da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia.

A renda das vendas dos livros, será destinada às atividades sociais do Ceifar - Centro de Integração Familiar, sediada no bairro de Tancredo Neves, em Salvador/BA e que presta assistência às famílias carentes do bairro e comunidades vizinhas.

O lançamento será amanhã, 14 de agosto, às 10 horas da manhã, na Livraria LDM, na rua Direita da Piedade, nº 22, Centro, Salvador / Bahia.

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

domingo, 1 de agosto de 2010

Miudins - Rosinete e Adelmo

O lançamento da coleção Miudins - 30 Anos de Periferia está chegando, dia 14 de agosto.

Enquanto o lançamento não chega, segue uma HQ com duas "figuraças" da turma, Rosinete e Adelmo.

Ela, esnobe e arrogante, mora na favela, mas se acha uma princesa do Palácio de Versailles. Ele se acha um Dom Juan juvenil, irresistível, um "Reinaldo Giannechinni versão compacta" da periferia. No entanto, Adelmo é apaixonado pela Rosinete que não quer vê-lo nem pintado de ouro.